• Início ♥
  • Sobre ♥
  • Contato ♥
  • Layouts ♥
  • Resenhas ♥
  • Parcerias ♥
  • Rádio ♥
  • 08 outubro, 2016

    Resenha: As Cores da Vida - Kristin Hannah


    As Cores da Vida foi escrito pela autora Kristin Hannah e lançado recentemente pela Editora Arqueiro, que gentilmente nos cedeu esse exemplar.


    O livro tem um total de 352 páginas, divididas em 2 partes, com 30 capítulos mais o prólogo. A tradução foi feita por Flávia Souto Maior.


    A diagramação está simples, porém bem agradável, com páginas amareladas, um fonte de bom tamanho e margens e espaçamentos que proporcionam uma leitura confortável.


    Sinopse: Uma arrebatadora história sobre irmãs, rivalidade, perdão e, em última análise, o que significa ser uma família. As irmãs Winona, Aurora e Vivi Ann perderam a mãe cedo e foram criadas por um pai frio e distante. Por isso, o amor que elas conhecem vem do laço que criaram entre si. Embora tenham personalidades bastante diferentes, na verdade são inseparáveis. Winona, a mais velha e porto seguro das irmãs, nunca se sentiu em casa no rancho da família e sabe que não tem as qualidades que o pai valoriza. Mas, sendo a melhor advogada da cidade, ela está determinada a lhe provar seu valor. Aurora, a irmã do meio, é a pacificadora. Ela acalma as tensões familiares e se desdobra pela felicidade de todos – ainda que esconda os próprios problemas. E Vivi Ann é a estrela entre as três. Linda e sonhadora, tem o coração grande e indomável e é adorada por todos. Parece que em sua vida tudo dá certo. Até que um forasteiro chega à cidade... Então tudo muda. De uma hora para a outra, a lealdade que as irmãs sempre deram por certa é posta à prova. E quando segredos dolorosos são revelados e um crime abala a cidade, elas se veem em lados opostos da mesma verdade.

     As Cores da Vida foi escrito pela autora Kristin Hannah e publicado no Brasil pela Editora Arqueiro. O livro traz a arrebatadora história das irmãs Grey, Winona, Aurora e Vivi Ann. Elas perderam a mãe logo cedo e foram criadas por um pai frio e distante, que nunca as tratou com amor.
    O único amor que essas meninas conhecem é o que criaram uma pela outra, durante esses anos difíceis da infância, o que fez das três inseparáveis.
    Mas nem só amor permeia o relacionamento dessas irmãs, há também muita rivalidade, intriga, inveja e perdão.

    A história se inicia no ano de 1979, pouco tempo após a perda da mãe, e se prolonga até o ano de 2008.
    Ao decorrer das páginas nós somos apresentados as três irmãs, e passamos a conhecer bem a personalidade de cada uma delas. Winona é a irmã mais velha, e a mais centrada da família. Ela é uma advogada bem sucedida, mas que tem uma alta estima baixa por conta do seu peso.
    Aurora é a irmã do meio e a grande conciliadora das irmãs, ela é casada, tem dois filhos e está sempre buscando deixar todos felizes.
    Vivi Ann é a irmãs mais nova e a mais indomável de todas, ela é muito linda e querida por todos da cidade e é também a preferida de seu pai, o que causa muito ciúmes em Winona.


    "Se havia uma verdade que Vivi Ann conhecia muito bem, era de que a perda, assim como o amor, tinha um começo, mas não um fim."

    Tudo ia bem e caminhava normalmente na vida das irmãs, até que um forasteiro chega a cidade e muda completamente a vida da família Grey.
    Uma história cheia de amor familiar, de inveja, ciúmes, mas também de reconciliação e principalmente de perdão.
    Uma história onde temos um amor tão profundo e verdadeiro que nada poderá fazer com que ele acabe, nem o preconceito, nem as injustiças e nem mesmo o tempo.

    Esse é o 2° livro que leio da Kristin Hannah e estou simplesmente apaixonada pela escrita dessa autora.
    Hannah traz em suas obras histórias tão apaixonantes e cativantes que é simplesmente impossível não amar.
    Uma história emocionante e sem dúvidas diferente de tudo que já li. Deixou meu coração apertado em vários momentos e me fez torcer para que tudo terminasse bem para todos.
    As relações familiares são muito bem desenvolvidas e os personagens são muito cativantes e bem construidos.

    "Algumas coisas não podiam ser esquecidas, mesmo com muito esforço. Humilhação. Perda. Inveja. Eram emoções que ficavam surgindo na superfície. No Final, é muito cansativo mantê-las escondidas."

    O livro é quase todo narrado em 3° pessoa, com exceção dos trechos do diário do filho de Vivi, que são narrados em 1° pessoa por ele.
    A trama é muito bem desenvolvida e nos conquista desde as primeiras páginas. A escrita da autora é bem clara e muito envolvente, o que nos prende completamente a essa leitura.
    A história tem uma carga de drama muito emocionante, mas a autora procura sempre dar uns toques de leveza a história.
    É muito bacana acompanhar o relacionamento das irmãs ao decorrer dos anos, e ver que mesmo com tantos acontecimentos ruins e tantos sentimentos permeando essa relação, o amor que elas sentem uma pela outra sempre acaba ficando em primeiro ligar.

    As Cores da Vida traz uma história linda e emocionante, que me fez sorrir, chorar entre outros tantos sentimentos que me assolaram ao decorrer dessa leitura.
    Recomendo expressamente esse livro a todos os leitores, pois uma história tão linda como essa merece ser lida
    Essa história sem dúvidas entrou para a minha listinha de livros favoritos e que eu quero reler mais pra frente.
    Mais uma história maravilhosa e inesquecível de Kristin Hannah, autora que já virei fã, mesmo tendo lido apenas dois livros dela. Já estou ansiosa para futuramente conhecer mais alguma de suas histórias.

    "No final, o importante não eram os rompimentos na corrente, mas os elos."

    Classificação:

    26 setembro, 2016

    Resenha: A Caminho do Altar - Os Bridgertons #08 - Julia Quinn


    A Caminho do Altar é o 8° livro da série intitulada "Os Bridgertons", escrita pela autora Julia Quinn e publicada no Brasil pela Editora Arqueiro, que gentilmente nos enviou esse exemplar.


    O livro tem um total de 317 páginas divididas em 25 capítulos mais prólogo e epílogo. Alguns capítulos são um pouco mais longos, o que não me agrada muito, mas não é nada a ponto de atrapalhar o ritmo de leitura. A tradução foi feita por Viviane Diniz.


    A diagramação está simples e segue o mesmo padrão dos outros livros da série, com páginas amareladas e bons tamanhos de fonte, margens e espaçamentos. 


    Sinopse: Ao contrário da maioria de seus amigos, Gregory Bridgerton sempre acreditou no amor. Não podia ser diferente: seus pais se adoravam e seus sete irmãos se casaram apaixonados. Por isso, o jovem tem certeza de que também encontrará a mulher que foi feita para ele e que a reconhecerá assim que a vir. E é exatamente isso que acontece.
    O problema é que Hermione Watson está encantada por outro homem e não lhe dá a menor atenção. Para sorte de Gregory, porém, Lucinda Abernathy considera o pretendente da melhor amiga um péssimo partido e se oferece para ajudar o romântico Bridgerton a conquistá-la.
    Mas tudo começa a mudar quando quem se apaixona por ele é Lucy, que já foi prometida pelo tio a um homem que mal conhece. Agora, será que Gregory perceberá a tempo que ela, com seu humor inteligente e seu sorriso luminoso, é a mulher ideal para ele?
    A caminho do altar, oitavo livro da série Os Bridgertons, é uma história sobre encontros, desencontros e esperança no amor. De forma leve e revigorante, Julia Quinn nos mostra que tudo o que imaginamos sobre paixão à primeira vista é verdade – só precisamos saber onde buscá-la.


    A Caminho do altar é o 8° e último livro da série de romances de época, Os Bridgertons, escrita pela autora Julia Quinn.
    Nesse encerramento temos como protagonista Gregory Bridgerton, um dos caçulas da família Bridgerton e que pouco apareceu nos outros 7 livros da série.
    Gregory está com 26 anos e não sabe bem o que vai fazer da vida, que carreira seguir, em que gostaria de trabalhar... A única coisa de que ele tem certeza é de que quer se casar por amor, assim como seus 7 irmãos.
    Assim, ele aguarda pelo dia em que inesperadamente ele irá encontrar alguém que o deixe completamente desnorteado e apaixonado, e eis que esse dia chega...

    A primeira vez que seus olhos viram Hermione Watson, foi o suficiente para fazer com que ele se apaixonasse por ela. O problema é que Hermione já está apaixonada por outra pessoa, e não dá quase nenhuma atenção para qualquer cavalheiro que tente chamar sua atenção.
    Para sorte de Gregory, Lucy Abernathy, a melhor amiga de Hermione, acha que ele é um ótimo partido para sua amiga, e acredita que os dois teriam um casamento feliz, por isso ela decide ajudar o jovem Bridgerton a conquistar o coração de sua amiga.
    O que Lucy não esperava era que ela se apaixonasse por Gregory, mesmo já estando prometida pelo seu tio a outro homem.

    "Ao contrário da maioria dos homens Gregory bridgerton acreditava no amor verdadeiro.
    E seria um tolo se não acreditasse."

    Finalmente conclui a leitura do último livro dessa série que me encantou e me fez amar um gênero que eu pouco conhecia, que eram os romances épicos.
    Ao terminar esse livro eu senti ao mesmo tempo um alívio por enfim conhecer o desfecho dessa série, mas também uma pontinha de saudades de personagens tão queridos e divertidos.
    O livro é todo narrado em 3° pessoa e intercala os capítulos entre o ponto de vista de nossos dois mocinhos, Gregory Bridgerton e Lucy Abernathy.
    Apesar de o Gregory não ter sido um personagem muito frequente nos outros livros da série, a empatia que senti por ele foi a primeira vista e o mesmo posso dizer da nossa mocinha Lucy.

    Gregory é um dos mais jovens da família e ainda não sabe bem o que fará do seu futuro, a única coisa que ele tem certeza é de que quer se apaixonar perdidamente e ter um casamento por amor, assim como seus 7 irmãos tiveram. 
    Lucy é uma jovem bem prática, e que não acredita no amor. Ela perdeu os pais ainda muito jovem, e foi criada pelo tio, que nunca deu muita atenção para ela ou para o irmão dela, Richard, mas tudo muda para Lucy quando ela conhece Gregory e um grande sentimento por ele começa a crescer.
    Além de nossos dois protagonistas temos ainda outros personagens que são fundamentais para história como Hermione, Richard, e alguns integrantes da família Bridgerton.

    "E ele soube. Teve certeza de que era ela. Ficou congelado, paralisado.
    Não perdeu o fôlego de repente; em vez disso, o ar pareceu escapar lentamente..."

    A história de início me conquistou e me prendeu nas páginas desse romance, mas confesso que do meio pra frente a leitura decaiu um pouco pra mim. 
    Apesar de ter gostado muito de ambos os protagonistas, alguns aspectos do romance não me convenceram muito e além disso algumas cenas da história me pareceram meio exageradas.
    Outra coisa de que senti falta foi dos irmãos Bridgertons. São poucos os que aparecem nesse livro e alguns deles de maneira bem superficial.
    Mesmo sabendo que esse livro conta a história do Gregory, por ser o último da série eu esperei um grande encontro da família com todos presentes ou algo do tipo e isso infelizmente não aconteceu.

    No geral A caminho do Altar é uma boa leitura do gênero, um romance de época, com pitadas de drama, humor e sagacidade, como todos os livros da série. Mas o livro em minha opinião fica devendo se comparado aos 5 primeiros livros da série que foram sensacionais, pelo menos para mim.
    O fim do livro não me desagradou, mas também não foi o final que eu imaginava para a conclusão de uma série.
    Com todos os pontos cruciais destacados, os positivos são bem maiores e por isso eu recomendo esse livro a todos os leitores amantes de um bom romance. O livro apesar de ser parte de uma série, pode ser lido fora de ordem, apesar de eu recomendar que vocês leiam na ordem.
    Para quem ainda não se aventurou na série dos Bridgertons, eu recomendo expressamente que vocês deem uma chance a esses livros, pois são ótimos.

    "O amor existia.
    Estava bem ali, no ar, no vento, na água. só era preciso esperá-lo.
    Cuidar dele.
    Lutar por ele."


    30 agosto, 2016

    Resenha: Um Mundo Melhor - Brilhantes #02 - Marcus Sakey


    Um Mundo Melhor é o 2° livro da série Brilhantes, escrita pelo autor Marcus Sakey. Os livros estão sendo publicados no Brasil pela Editora Galera Record, que gentilmente nos cedeu esse exemplar.


    O livro tem um total de 420 páginas, divididas em 45 capítulos mais prólogo e epílogo. A tradução foi feita por André Gordirro.


    A diagramação está muito boa, com páginas amareladas, um bom tamanho de fonte e também de margens e espaçamentos, o que proporcionam uma leitura confortável.


    Sinopse: Pessoas com poderes especiais numa trama que envolve conspiração, política e terrorismo. O aguardado segundo volume da série Brilhantes. Nick Cooper lutou para que os brilhantes, parcela da população dotada de habilidades incomuns, fossem aceitos e integrados na sociedade até uma rede terrorista, liderada por brilhantes, atingir três cidades e deixar o país à beira de uma guerra civil. Cooper é brilhante e agora também consultor do presidente dos Estados Unidos, e contra tudo o que os terroristas representam. Porém, conforme o país descamba para o caos, ele se vê forçado a participar de um jogo que não aceita perdedores, pois seus oponentes têm uma visão particular de um mundo melhor.


    Um Mundo Melhor é o 2° livro da série Brilhantes do autor  Marcus Sakey, uma história que envolve pessoas com poderes especiais, corrupção, política e terrorismo.
    Nesse segundo livro da série, acompanhamos o que aconteceu aos Estados Unidos depois dos acontecimentos desencadeados no primeiro volume.
    Nick Cooper que agora é um ex-agente do DAR, recebe uma inesperada e irrecusável proposta para trabalhar diretamente com o presidente e sem muita escolha acaba aceitando.

    Logo que inicia seus trabalhos com o presidente, Cooper se vê em uma difícil situação, já que um grupo terrorista composto por Brilhantes, chamado Os Filhos de Darwin, estão aterrorizando várias cidades dos Estados Unidos, deixando-as sem comida e eletricidade o que causa um verdadeiro caos na população.
    vários caminhoneiros foram atacados e mortos nas estradas como um sinal de aviso dos terroristas e um grande ataque ainda é esperado.

    "A liberdade é algo pelo qual você precisa lutar para conquistar, não uma vez, mas todo dia. A natureza da liberdade é ser fluida; como água em um balde furado, a tendência é se esvaziar."

    Nick tenta de todas as maneiras evitar que uma guerra civil aconteça, ao mesmo tempo que luta para que o mundo seja um lugar melhor para seus filhos e também para todos os brilhantes, como ele.
    Conforme a situação piora cada vez mais, ele acaba envolvido em um jogo de poder onde enfrentará um adversário incrivelmente perigoso e pessoas com uma visão completamente diferente da dele do que seria um mundo melhor.

    Eu estava bem ansiosa para esse segundo volume dessa série, já que a proposta do 1° livro me agradou bastante e foi uma leitura bem proveitosa. Mas mesmo assim, eu confesso que não esperava que essa leitura tivesse sido tão boa, já que se trata de um segundo livro, mas o autor me surpreendeu com uma trama ainda mais interessante, cheia de ação e que nos faz não querer desgrudar dessa leitura, até concluí-la.

    "Na verdade, os dois eram realmente muito parecidos, ambos lutando para fazer um mundo melhor. Eles apenas tinham ideias diferentes de como chegar ao objetivo."

    O livro é todo narrado em 3° pessoa e a história vai intercalando entre o ponto de vista de alguns personagens da história, Nick, Shannon, Ethan, Soren, entre outros personagens, o que deixou a leitura bem dinâmica.
    A narrativa do autor é bem clara e concisa e a maneira como ele desenvolve a história dá todo um clima de angustia e ansiedade durante a leitura, que nos faz devorar as páginas afim de saber o que irá acontecer no capítulo a seguir.

    Com uma trama bem desenvolvida e muito empolgante, Um Mundo Melhor apresenta uma grande evolução na história da série, e é sem dúvidas melhor que o primeiro livro.
    A história é interessante, ágil e os personagens são muito bem construidos. Alguns personagens tiveram menos destaque nesse segundo livro, enquanto outros ganharam mais espaço na história.
    O autor soube encerrar o livro de maneira muito inteligente, deixando um ótimo plot para o terceiro livro da série.
    Depois dessa leitura é impossível não ficar ansiosa e cheia de expectativas para o próximo livro, que eu espero que não demorem pra lançar.
    Quem já leu o primeiro livro, não perca tempo e corre para realizar a leitura desse 2° livro que está incrível e para quem ainda não conhece a série, fica a dica de uma ótima leitura.

    "Construir um mundo melhor é um negócio sangrento. E É melhor você se decidir sobre com quem realmente se importa."

    Classificação: