• Início ♥
  • Sobre ♥
  • Contato ♥
  • Layouts ♥
  • Resenhas ♥
  • Parcerias ♥
  • Rádio ♥
  • 20 janeiro, 2016

    Resenha: O Rouxinol - Kristin Hannah


    O Rouxinol da autora Kristin Hannah foi publicado em 2015 pela Editora Arqueiro, que gentilmente nos cedeu esse exemplar como cortesia.


    O livro tem um total de 425 páginas, divididas em 39 capítulos. Os capítulos não são longos o que torna a leitura fluida. A tradução foi feita por Claudio Carina.


    A diagramação está simples e bem delicada, com um bom tamanho de fonte, margens e espaçamentos. As páginas são amareladas.


    Sinopse: No pequeno vilarejo de Carriveau, Vianne Mauriac se despede do marido, que ruma para o fronte. Ela não acredita que os nazistas invadirão o país, mas logo chegam hordas de soldados em marcha, caravanas de caminhões e tanques, aviões que escurecem os céus e despejam bombas sobre inocentes. Quando o país é tomado, um oficial das tropas de Hitler requisita a casa de Vianne, e ela e a filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente, todos os seus movimentos passam a ser vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis, uma após a outra, e colaborar com os invasores para manter sua família viva. Isabelle, irmã de Vianne, é uma garota contestadora que leva a vida com o furor e a paixão típicos da juventude. Enquanto milhares de parisienses fogem dos terrores da guerra, ela se apaixona por um guerrilheiro e decide se juntar à Resistência, arriscando a vida para salvar os outros e libertar seu país.

    O Rouxinol é uma história que se passa na França, em plena 2° guerra mundial. Nesse livro nós conhecemos as irmãs Vianne Mauriac e Isabelle Rossignol.
    Vianne e Isabelle tiveram uma vida feliz ao lado dos pais, até o dia em que seu pai Julien Rossignol foi convocado para guerra. Ele voltou a salvo da guerra, mas por dentro já não era mais o mesmo homem. Os horrores que presenciou na guerra o transformaram em um um homem amargo e que se refugiava na bebida. Com a morte precoce da mãe, as meninas acabam sendo mandadas pelo pai para serem criadas em uma espécie de internato.

    Vários anos se passaram e Vianne se casou com seu grande amor Antoine e tem uma filha chamada Sophie, e juntos ele formam uma família feliz em Le Jardin, um casarão que pertence a sua família a muitos anos.
    Com o inicio iminente da 2° guerra, seu marido Antoine é convocado para lutar, e Vianne fica sozinha com a filha em Le Jardin. Toda a França  está sendo tomada pelas tropas nazistas. Para piorar a situação Vianne tem sua casa requisitada por um soldado, e se vê com apenas duas opções: abandonar seu lar ou aceitar aquele soldado nazista aquartelado em sua casa.

    Isabelle é uma jovem voluntariosa, impulsiva e cheia de coragem, que se apaixona por um revolucionário chamado Gaeton. Decidida a ajudar de alguma maneira, ela se junta a resistência, arriscando sua vida para salvar a dos outros e libertar o seu país.
    Durante toda a história ela faz de tudo para ajudar os fugitivos e sobreviventes da guerra, elaborando uma rota de fuga para ajudar jovens pilotos a voltar para seus países. Para colaborar com a resistência afim de ver seu país finalmente livre Isabelle arrisca não apenas a sua vida mas a de todos a sua volta não medindo esforços e sendo muitas vezes até mesmo um pouco egoísta e descuidada quanto a segurança dos seus familiares.

    "Se há uma coisa que aprendi nesta minha longa vida foi o seguinte: no amor, nos descobrimos quem desejamos ser; na guerra, descobrimos quem somos."

    A um bom tempo eu tinha a curiosidade e a grande vontade de ler algum livro da autora Kristin Hannah, afim de conhecer sua escrita, e quando vi a arqueiro lançando O Rouxinol eu não tive dúvidas de que precisava ler esse livro.
    Iniciei a leitura cheia de expectativas para essa história já que todos me diziam que era maravilhosa, e agora que finalmente terminei a leitura, eu simplesmente não encontro palavras suficientes que expressem as emoções e o significado que esse livro teve para mim.

     Apesar de ter ideais diferentes e de serem distantes uma da outra devido a tudo que passaram na vida e das magoas que guardam do passado, as duas irmãs compartilham da força e do desejo de proteger aqueles que amam em meio a essa guerra devastadora e o foco dessa história é mostrar como cada uma viveu e enfrentou essa guerra a sua maneira. Cada uma sofre e paga o seu preço pelos seus atos de bondade.
    Vianne para salvar e proteger sua família tenta de tudo para se manter fora da vista dos nazistas. Andando sempre de cabeça baixa e muitas vezes sendo até mesmo obrigada a colaborar com o inimigo para não comprometer a segurança de sua filha Sophie. Ela se vê ainda obrigada a viver com sua filha sob o mesmo teto que um soldado nazista, o jovem oficial Beck, a quem é obrigada a tratar como um hospede, afim de manter sua família em segurança. 

    "Por causa deles, agora sei o que é importante, e não é o que perdi. São as minhas lembranças. Feridas cicatrizam. O amor perdura."

    Os sofrimentos que foram infligidos a Judeus, Comunistas e qualquer pessoa que se mostrasse contra o regime nazista eram extremamente cruéis e monstruosos, a autora retrata de uma maneira muito clara e muito intensa o quanto todos sofreram com essa guerra. Várias mulheres e crianças passaram fome, devida a comida que era escassa e muitos alimentos eram proibidos para população e permitidos apenas para os soldados alemães. As pessoas passavam o dia inteiro em filas intermináveis para conseguir um mínimo de comida para se manter vivo. Ver o quanto todos sofreram nesse período negro da história mundial me deixou muito indignada.
    O Rouxinol é um livro que mostra não só os horrores da guerra, mas também o quanto as mulheres foram heroicas e quanto tiveram um papel importante ao longo desses anos difíceis de dor, fome e medo.
    Esse é sem dúvidas um dos livros mais lindos que li na minha vida e me deixou emocionada de uma maneira única e devastadora. Acho que nunca chorei tanto ao terminar um livro, como chorei com esse. Ao fim da leitura eu sentia como se um punhal tivesse sido cravado em meu coração tamanha a dor que senti ao chegar ao ponto final dessa história.

    Fui completamente envolvida pela dor e pelo sofrimento dessas duas irmãs. Me vi aflita por tudo que acontecia a elas, mas também senti muito orgulho do quanto elas foram corajosas para ajudar outros homens, mulheres e crianças.
    O Rouxinol é com certeza um dos melhores livros que li na vida e que se tornou favorito. Recomendo expressamente essa leitura a todos, sem exceção. Esse é o tipo de livro que todos deveriam ler e compartilhar das emoções que esse livro provoca em cada um de nós.

    "— Sabe uma coisa que aprendi nos campos de concentração?
     — Que eles não podem tocar no meu coração. Não podiam mudar quem eu era por dentro. O Meu corpo...eles destruiriam nos primeiros dias, mas não o meu coração."

    Classificação: 


    28 comentários:

    1. Olá
      Nossa essas histórias que se passam durante as Grandes Guerras tem um potencial incrível para emocionar, ou causar indignação, a ocupação nazista na França está sendo bem utilizada agora.
      Nossa deve ser terrível ter que ceder sua casa a uma inimigo odiado para poder salvaguardar sua família, e ainda por cima com uma irmã na resistência, com o risco desse inimigo retaliar em seu filho deve ser bem tenso.

      Beijos

      ResponderExcluir
    2. oie!!!

      Caramba!!! que resenha maravilhosa!!!! Incrível!!! Parabéns...eu adorei, muito mesmo!

      Acho incríveis esses livros que trazem um pouco da realidade vivida num momento tão complicado da humanidade. É interessante ver como o autor consegue retratar essa fase e ainda trazer certo romance né???

      Adorei a indicação!!!

      bjs

      ResponderExcluir
    3. Olá,
      Achei incrível sua resenha, ficou muito boa!!!
      Adoro histórias que se passam em uma guerra, mostrando tudo que aquelas pessoas passaram... mostra uma realidade que não vivemos aqui no Brasil .. graças a Deus!!
      Imagino como você ficou com o final do livro, quantas emoções vividas durante a leitura.
      Fiquei curiosa conhecer mais das irmãs e saber como ficaram.
      Parabéns
      beijos
      www.conchegodasletras.blogspot.com.br

      ResponderExcluir
    4. Own!
      Sou suspeita porque amo Hannah e amei esse livro.
      A guerra modifica muito as pessoas a acompanhar a história dessas suas irmãs com certeza foi um presente. Realmente foi um livro emocionante, que me fez chorar também.
      Leia todos os livros de Hannah, principalmente Jardim de Inverno.
      Beijinhos
      Rizia - Livroterapias

      ResponderExcluir
    5. Oi, tudo bem?
      Já acompanho seu blog há algum tempo e como acabei de criar o meu, vim te convidar para visitar e se quiser também seguir o meu:
      http://leitoresapx.blogspot.com.br/
      Um beijo!

      ResponderExcluir
    6. Oiie,

      Já vi tantas pessoas e resenha desse livro que não vejo a hora de poder ler. Achei o enredo magnifico, ainda mais por se passar em guerras, e vê que as pessoas são diferentes, mesmo sendo irmãs. Já tô vendo que vou chorar litros kkk

      Bjs

      ♡ Amantes da Leitura

      ResponderExcluir
    7. Oie, tudo bem?
      Ainda não conhecia o livro... Mas essa capa é tão delicadinha <3.
      Sua resenha me despertou curiosidade sobre o que as duas irmãs passaram, confesso que livros que tratam de guerra não faz muito meu estilo mas acho que esse vai ser aquele livro especial que pode mudar o meu conceito sobre o gênero. Não custa nada dar uma chance a ele né?!
      Obrigada pela dica :)

      Beijos :*
      Jess*
      http://www.lovebooks2.com.br

      ResponderExcluir
    8. eu já conheço a escrita da autora e gosto bastante de suas obras... ainda não tive chance de ler O rouxinol, mas pretendo ler, pois amo histórias ambientadas na segunda guerra...
      adorei sua resenha...
      bjs

      ResponderExcluir
    9. Uau, que resenha! Gostei muito de saber que esse livro a agradou desse jeito, mas principalmente que a marcou, sabe? Mesmo que você já tivesse altas expectativas quando começou a lê-lo, saber que ele não apenas as atendeu, mas também a emocionou de um jeito ímpar me faz ter certeza de que é uma leitura imperdível. O contexto da guerra sempre emociona, mas uma história como essa não parece fazer apenas isso. Parece questionar e provocar sentimentos no leitor... Quero conhecer!

      Beijos!
      http://www.myqueenside.blogspot.com

      ResponderExcluir
    10. Oiii!

      Minha amiga AMOU esse livro <3 <3 É lindo ler essas resenhas que são tão positivas que não há como não se interessar pela capa.
      Eu não li ainda, na verdade eu ainda não li nenhum que tratasse dessa temática, e tenho bastante curiosidade. Eu acho que o tema é bem tenso, mas parece que foi muito bem trabalho. Acho ótimo quando conseguimos nos emocionar com as obras dessa forma
      Suas fotos estão lindas demais!

      Beijinhos

      ResponderExcluir
    11. Oii, tudo bem?
      Eu ainda não conhecia o livro, e confesso que a premissa dele a sua resenha me deixaram intrigados. Eu gosto muito de livros que se passam em período de guerra, e que também trazem personagens determinados e lições de vida, e com certeza esse livro tem isso.

      ResponderExcluir
    12. Amiga eu ainda não li nada da autora pra te falar a verdade, mas suas impressões me deixaram bem curiosa, apesar de ter a Segunda Guerra de fundo. Normalmente não leio livros desses gêneros, porque eu acho bastante triste sabe? Mas mesmo assim eu gostei da forma como os personagens foram elaborados na trama. Eu não sei se leria esse dela como primeiro livro, mas me parece ser uma estória muito envolvente e tocante. Acho que pegaria ele pra ler depois de algum outro dela.

      http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/01/resenha-filha.html

      ResponderExcluir
    13. Eu adoro histórias que se passam na 2º guerra mundial, pois são sempre leituras muito reais e emocionantes. É uma forma de se aproximar de todo o horror que foi naquela época. E essa obra parece ter uma história maravilhosa, você falou tão bem sobre, que minha vontade é correr até uma livraria e comprar o livro. Nunca li nada da autora também, então é uma dupla curiosidade de conhecer a trama.
      beijos
      www.apenasumvicio.com

      ResponderExcluir
    14. Ola lindona esse livro foi escolhido pelos leitores como um dos melhores de 2015, amei a premissa do livro, amo protagonistas fortes e guerreiras que mostram a força da mulher, mesmo com muitas batalhas a vencer, e acredita que as irmãs vão mostrar isso a garra em toda situação. Sua resenha me deixou ainda mais curiosa com esse livro. Vou ler com certeza. beijos

      Joyce
      www.livrosencantos.com

      ResponderExcluir
    15. Olá
      Tudo bom?
      Eu também tenho curiosidade em ler algum livro da autora,mas esse infelizmente não chamou minha atenção por se passar na guerra. Não me sinto bem lendo sobre isso, mesmo sabendo ser ficção, já aconteceu e ainda acontece em alguns lugares, vidas sendo tiradas por um ideal, mas mesmo assim gostei muito da sua resenha, foi bem sucinta.
      Beijos

      ResponderExcluir
    16. Oiee ^^
      Eu amo histórias que se passam em meio à guerras ♥ Eu também vi várias pessoas elogiando esse livro, então as expectativas são bem altas, mas ver que você não conseguiu encontrar as palavras para dizer o quanto gostou (só os melhores livros conseguem nos deixar assim, né?!) me fez colocá-lo no topo da listinha de desejados. Estou mesmo precisando de um livro com fortes emoções ♥
      MilkMilks
      http://shakedepalavras.blogspot.com.br

      ResponderExcluir
    17. Oi Maiah, esse é um livro que sempre tive vontade de ler desde que fiquei sabendo sobre o lançamento, me interesso muito por histórias que se passem na guerra e com esse livro não foi diferente. Sua resenha me cativou a ir atrás dele e ler o quanto antes!

      beijos

      http://www.oteoremadaleitura.com/

      ResponderExcluir
    18. Olá... tudo bem??

      Bom eu sinceramente não curto livros que tem como tema principal a guerra, principalmente quando os alemães estão envolvidos até o pescoço... não gosto do país... e não curto ler nada que o envolva mais diretamente... eu imagino sim... o quanto sua emoção foi lá em cima, porque fala-se de guerra, já mexe com o nosso interior, com nossas ações e sentimentos mais profundos... não gosto de imaginar o sofrimento em que as pessoas são submetidas e as humilhações... eu não leio porque não quero me emocionar, nada disso, é porque prefiro assistir filmes que envolvem a guerra do que ler mesmo.... sua resenha ficou linda, não podia deixar de fazer esse comentário... Xero!!!

      http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    19. Olá!

      Estou muito ansioso para ler O Rouxinol, primeiro por se passar na França durante a segunda guerra mundial, e segundo, me identifiquei bastante com o livro. Gostei bastante dos pontos levantados em sua resenha, vou com certeza ler O Rouxinol.

      Abraços, Heitor Botti
      http://shakedepalavras.blogspot.com.br/2016/01/novidades-de-janeiro-josy-stoque.html

      ResponderExcluir
    20. Oiii
      EU não conhecia a autora ou o livro,achei a capa linda,muito delicada.
      Fico em dúvida sobre a leitura,por ele se passar na segunda guerra. Sempre acho que são histórias tristes.
      Mas sua visão,sua resenha e toda emoção que vocês nos mostrou,me fez pensar,por que não?
      Acho que darei uma chance a obra.
      Obrigada pela dica.
      Beijos.

      ResponderExcluir
    21. Olá!
      Ler em uma resenha que é um dos melhores livros da vida de uma pessoa é uma ótimo incentivo para ler o livro!
      Adorei sua resenha e sempre quis muito ler Kristin, principalmente O Rouxinol, que parece ser incrível.
      Adorei sua resenha e ela me deixou muito curiosa para ler o livro, pois adoro temas de guerra.
      Beijos
      http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    22. Olá, tudo bem??

      Que história linda! Deve ser muito difícil após ver os horrores de uma guerra, voltar o mesmo piscicologicamente... Gostei bastante do enredo, realmente parece ser do tipo de livro que todos deveriam ler... Já anotei o nome pra eu dar uma procuração assim que tiver a oportunidade!

      XOXO
      Umnovo-roteiro.blogspot.com

      ResponderExcluir
    23. Ooooooi!

      Quanto tempo, minha flor! Saudades. Lembra de mim? Eu era blogueira do Escolhas Literárias, mas infelizmente precisei abandonar o blog, tem mais de dois anos. Faculdade, problemas, você sabe né? Acabei tão enrolada que mal entrava na blogosfera, nem como leitora. Mas agora que consegui voltar, fiz questão de ir lá na lista de blogs que costumava seguir pra fazer uma “limpeza” daqueles que não estão mais ativos, e pra dar um oi naqueles que ainda estão, e avisar que estou com um cantinho novo e adoraria se você pudesse dar uma passadinha por lá!

      Bom, sobre a sua resenha diva... Tenho vergonha de admitir que nunca li nada da Kristin Hannah. Só escuto maravilhas, todos os livros dela estão na minha lista de desejados e um deles já achou o caminho até a minha estante, mas estava enrolada demais nos últimos meses pra tirá-lo de lá. Esse já me deixou mais interessada ainda por abordar a época da Segunda Guerra, uma das épocas que mais gosto de ler sobre. E para você ter gostado tanto assim, mesmo com as expectativas altas, é porque deve ser simplesmente perfeito.

      Beijinhos, te aguardo lá no: http://amendoasefelpices.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    24. A premissa desse livro me lembrou a do livro A Garota que Você Deixou para Trás, da Jojo Moyes, que não gostei muito. O Rouxinol parece ser melhor, então já fiquei super curiosa para ler. Sua resenha ficou ótima, bem completa. E bom saber que possui personagens femininas tão fortes :)
      Beijos!
      http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    25. Oi!
      Ultimamente tem sido raro eu ler livros históricos e acho que já li tanto sobre a 2ºGM que atualmente evito um pouco leituras relacionadas. Já li um livro da Kristin e gostei do seu jeito de escrito, espero ler outros livros dela, mas quase certeza de que não será O Rouxinol.
      Beijos,
      Andy - StarBooks

      ResponderExcluir
    26. Olá!!

      Eu não sabia que se passava durante a 2ª Guerra! Eu amo livros assim!! Se bem escritos, sempre são intensos!
      Já na sua resenha eu consegui visualizar a trama como um filme, imagino que seja perfeito, fiquei muito curiosa mesmo! Ainda não li nada da autora e sempre ouço falar muito bem!

      Bjus
      blog Fundo Falso

      ResponderExcluir
    27. Oie!!!
      Antes de qualquer coisa tenho que dizer que estou apaixonada por essa capa, consegui comprar o livro no fim de semana passado quando dei um pulinho na livraria da cidade ao lado. Estou louca para lê-lo, gosto muitíssimo de histórias que se passam na segunda guerra mundial. Fora que me impus como regra de ler pelo menos dois livros da autora esse ano.

      ResponderExcluir
    28. Oi, tudo bem?
      Tenho o marcador desse livro, mas não o livro, acredita? Uma tristeza! "O Rouxinol" anda me perseguindo desde que foi lançado. Além de despertar a minha vontade de ler logo de cara, fui atingida por várias resenhas positivas que só despertaram ainda mais a minha curiosidade sobre a estória. Além disso sou apaixonada por narrativas que são ambientadas durante a guerra, tenho tudo para gostar do livro e só falta ler e confirmar.

      Beijos,
      Andy!

      ResponderExcluir